terça-feira, 21 de agosto de 2007

CPMF- Não faça a sua parte!

Vamos as cartas.
.
Em primeiro lugar, a CPMF, Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira, já diz tudo sobre o seu significado. Foi no banco sacou dinheiro: toma CPMF. Passou cartão de débito no supermercado toma CPMF. Fez uma grande transação bancária (bem nós não nos enquadramos nesta categoria) toma CPMF. Este imposto fora criado para que se criasse um fundo de amparo a saúde. O seu fim, portanto, é justo, pois é uma cobrança que deveria ter, ESCUTEM DEVERIA ocasionar um benefício ao todo social, mas não é isso que acontece NÃO PORQUE O IMPOSTO É RUIM, MAS SIM PORQUE ESSA VERBA É DESVIADA PELA CORRUPÇÃO OU PARA O FINANCIAMENTO DO PRIVADO, TAL COMO ACHAM CONVENIENTE AQUELES QUE ESTÃO NO PODER. Não vi, por exemplo, a FIESP, ENTIDADE DE EMPRESÁRIOS, reclamar que o dinheiro que forma o fundo do BNDES é DESVIO DE VERBA PÚBLICA, PORQUE É UM FUNDO FORMADO DE IMPOSTOS RECOLHIDOS JUNTO A SOCIEDADE (se não estou enganado), portanto é um FUNDO PÚBLICO, e desviado para o financiamento do PRIVADO.
.
Em segundo lugar, é a FIESP, Federação das Indústrias do Estado de São Paulo que está encabeçando este movimento contra a votação da CPMF. Gente é FEDERAÇÃO DAS INDUSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO, porque seis acham que eles estão encabeçando tal movimento. Não é por acaso. Eles não são ingênuos e pra piorar são organizados. É a FIESP uma das cabeças desta reedição da “Marcha por Deus e pela Família” que é golpista sim. Tá colocando na rua a classe média reacionária e as dondocas que carregam poodles vestidos com casaquinhos nos braços. São eles quem tão querendo derrubar os direitos trabalhistas no Senado. Porque então o interesse de derrubar a CPMF?
.
Simples. Empresário nunca quis pagar muita coisa neste país. Pensam somente no lucro e no “HUMOR DO MERCADO”. Um Estado que promova o bem-estar social não é interessante e pouco importa pra quem anda de carro blindado ou vive em condomínios-fortalez as-medievais ou está andares acima de toda violência que estoura nas ruas em razão do sistema do qual esses “empresários”, chorosos porque pagão impostos, “coitadinhos”, vêem os seus lucros diminuídos e não podem, vê só que dó, investir na exploração de mais um “empregado” em tempo integral.
.
É puro discurso, quando dizem que tal imposto deve ser abolido por não funcionar e como todo discurso ele é fundado parcialmente em uma verdade, porque senão não ocasionaria o efeito pretendido. Então, É INCONTESTÁVEL O FATO DA CPMF NÃO ESTAR SENDO DIRECIONADO PRA FIM A QUE DEVERIA, MAS ISSO NÃO SIGNIFICA QUE O MESMO DEVE SER ABOLIDO. Considerando a origem de tal discurso não devemos perder a perspectiva de que a FIESP é movida pela ideologia neoliberal. É O ESTADO MÍNIMO O QUE PRETENDEM. O Estado mínimo enquanto difusor de bem-estar social, mas máximo no financiamento do privado, abrindo linhas de crédito para empresários, bancários, agricultores, etc etc. Para ser um Estado máximo no financiamento do privado ele mantêm-nos como contribuintes. Disso poderíamos concluir que não pagamos impostos, mas sim tributos. Mais que isso extinguir um imposto não significa que o Estado criaria outro mecanismo de captação, pois o mesmo tem de manter um erário. E bem sabemos que sempre sobra pra “Sociedade” contribuinte, a qual, vai do mais pobre ao um pouquinho melhor de vida.
.
O que acho então que devemos fazer é ou derrubar de vez o Estado e fundar um outro sistema, ou lutar para que este opere o bem-estar social que lhe é a única obrigação. E bem estar social não significa ter dinheiro para pagar um plano de saúde ou a parcela da mensalidade do colégio ou faculdade. SIGNIFICA QUE O ESTADO TEM A OBRIGAÇÃO DE OFERECER TUDO ISSO PARA TOTALIDADE DA SOCIEDADE PORQUE SOMOS CONTRIBUINTES, TODOS DO RAZOAVELMENTE ABASTADO (porque os poderosos não pagam nada. Seis sabiam que as transações da bolsa não sofrem incidencia de impostos) AO MAIS POBRE E É POR ISSO QUE DEVEMOS LUTAR. Agora não dá pra dizer que “Ah eu não quero pagar imposto, porque o governo não faz nada e eu não vou jogar dinheiro fora. É cada um por si e que se foda todo mundo. Eu tenho dinheiro e pago um bom plano de saúde e uma escola”. Não dá pra dizer isso. Isso não é sociedade. Isso é individualismo. Daí estoura uma bala na cabeça da classe média e ela finge não entender porque as paredes das favelas sangram. Por fim, DEVEMOS COBRAR DO ESTADO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS! Cultura gratuita, acesso a conhecimento gratuito (ensino básico, fundamental, médio e superior), saúde gratuita, etc etc seis já sabem.
.
Ufa depois de tudo isso vou tomar um chá de camomila pra ver se durmo. Não esqueçam que por mim eu fazia uma Revolução.

Um comentário:

V de Vingança disse...

É isso mesmo, eles só fazem pq convêm ir contra.
Ñ somos mais tão ingênuos,eles podem até pensar q continuamos a servir como massa fácil de manipular,mas se enganam.A hora da cobrança chegará para todos estes q. se acham muito espertos.

V